quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Aviva Tua Obra ó Senhor



AVIVAMENTO OU MOVIMENTO?
“Ouvi, Senhor, a tua palavra e temi; aviva, ó Senhor, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos a notifica; na ira lembra-te da misericórdia” ( Habacuque 3: 2)
O significado do nome “HABACUQUE” é “AQUELE QUE ABRAÇA”. E em sua oração vemos ele realmente abraçando uma causa.
É o 8º dos profetas menores; foi contemporâneo de Jeremias e Sofonias.
Era da tribo de Levi = além de profeta era sacerdote.
Era um profeta respeitado.
Ele ouviu da parte de Deus um juízo e temeu; diante disso ele faz um pedido à Deus:
“...aviva, ó Senhor, a tua obra ...”
Ele pede, por ter consciência que só Deuspode promover um Avivamento.Por mais influente e respeitado que alguém seja, homem nenhum pode promover um Avivamento.
O máximo que o homem pode promover é um MovimentoPorque a alma, que é a sede das emoções pode ser tocada por palavras, e provocar as mais variadas reações.
Muitos nesta hora estão confundindo MOVIMENTO com AVIVAMENTO.
- MOVIMENTO - Ato ou processo de mover (-se); deslocamento; Animação, agitação; Série de atividades organizadas por pessoas que trabalham em conjunto para alcançar determinado fim.

- AVIVAMENTO – O verbo hebraico hyh (avivar) tem o significado primário de “PRESERVAR” ou “MANTER VIVO”. Mas, também significa PURIFICAR, CORRIGIR e LIVRAR DO MAL. O verbo avivar, em suas várias formas, é usado mais de 250 vezes no A.T., dos quais 55 vezes estão num grau chamado PIEL. Neste sentido, o avivamento é sempre indicado como uma obra ativa e intensiva de Deus. Encontramos no N.T. grego um conjunto de palavras que expressam o conceito básico de avivamento. São elas: egeíro, anastáso, anázoe e anakaínooi. Outras palavras gregas comparam o avivamento ao REACENDER DE UMA CHAMA QUE SE APAGA AOS POUCOS, ou uma planta que lança novos brotos e “floresce novamente”.
Movimento é a palavra humana tocando na alma. Avivamento é o Espírito de Deus tocando no espírito do homem.
Muitos crentes confundem avivamento com forma de culto, com liturgia animada, com coreografia e instrumental aparatoso.
O verdadeiro AVIVAMENTO é provocado pela Palavra de Deus. Quando Esdras abriu o livro da Lei, todo o povo se pôs em pé (Ne8.5), prestando Reverência (Respeito, marcado pelo temor, às coisas sagradas) a Palavra de Deus.
O povo se sente impulsionado a louvar a Deus, adorando-o com as mãos para o alto (Ne 8.6a).
O povo se humilha diante de Deus, inclinando-se com o rosto em terra (Ne 8.6b).
O povo chorava por seus pecados ao ouvir a Palavra (Ne 8.9);
Mudança de Conduta: Os Israelitas estavam casados com mulheres estrangeiras, mas, ao provar do avivamento produzido pela Palavra de Deus, despediram as suas mulheres e renovaram as suas promessas com Deus.
Pode acontecer o Movimento em um Avivamento; mas , o que temos visto atualmente, é só Movimento sem Avivamento.
O VERDADEIRO AVIVAMENTO GERATRANSFORMAÇÃO, MUDANÇA DE VIDA.
Alguns líderes, infelizmente, não incentivam os crentes a freqüentar a Escola Dominical e a tomar parte nos cultos de ensino. Em decorrência disso, estão aparecendo expressões: “Segura a bola de fogo que Jeová vai mandar”, “Contempla o varão de branco com a espada na mão” e outras mais conhecidas: “Queima ele”, “Fica no mistério”, “Tá amarrado” , “vigília do reteté”,”sapato de fogo”, “o manto do mistério”... Vivemos uma época de muitos modismos. Se fala em rir, rugir, cair, pular e dançar de poder. Tais procedimentos são defendidos, muitas vezes, por pessoas que dizem ter uma nova unção do Espírito. Esta, porém, não existe, visto que a unção do Espírito de Deus é uma só, como ensina o apóstolo João: “E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo”, 1Jo 2.20. Nesse caso, interessar-se por manifestações estranhas, diferentes das apresentadas no NT, é se opor à legítima operação do Espírito Santo. Não passa de MOVIMENTOEm Romanos 12.1, Paulo ensina que o culto agradável a Deus é racional.
Em seu livro “A Exteriorização da Hierarquia” uma das principais portas vozes que deu origem ao movimento Nova Era (Alice Bailey), afirmou que “a experiência espiritual substitui a doutrina”. Na verdade a experiência nunca deve substituir a doutrina. Embora na prática isso não esteja acontecendo em muitos setores do protestantismo, seria bom salientar que Paulo ao exortar Tito, disse que a conveniência era pregar a sã doutrina e não a sã experiência (Tito 2:1).Toda a experiência deve ser serva das Escrituras, deve passar pelo crivo dos escritos doutrinários e se reprovados, se contradizem ao que está escrito, deve ser rejeitado e combatido, no caso de proliferação.
De que adianta saltar, pular,dançar, sapatiar..na igreja, e fora dela não demonstrar nenhuma mudança de vida(permanecer no vício,adultério,no engano,nas trapaças,mentiras,no mal testemunho);não dar o testemunho de um verdadeiro cristão!
Na verdade, o cristão deve evitar os dois extremos – o fanatismo e o formalismo. O primeiro consiste na adoção de práticas exageradas e extrabíblicas, enquanto o segundo rejeita qualquer manifestação, sob o pretexto de não correr riscos.

Como evitar estes extremos? Pedro responde: “Crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”, 2 Pd 3.18. Quem quiser crescer só na graça, fatalmente se tornará um fanático. E quem buscar só o conhecimento não terá como escapar da frieza espiritual. Para crescer na graça, o caminho é sempre o mesmo: consagração a Deus através de oração e jejum, bem como uma vida de piedade e santificação. Mas, para crescer em conhecimento é preciso estudar a Palavra e, principalmente, obedecer aos seus ensinamentos.
Outra orientação importante está em I Co.14:32 “E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas”. Há crentes que pensam que o Espírito Santo incorpora o profeta e suprime a sua personalidade no momento da profecia.
Entretanto, no NT não encontramos nenhum servo de Deus profetizando fora de sua razão. E, nos tempos do AT, os profetas empregavam a expressão “Assim diz o Senhor”, em uma demonstração de que transmitiam conscientemente a mensagem do Senhor.
Há pessoas que para profetizar precisam marchar, correr pelos corredores do templo ou encostar a sua testa na cabeça daquele que está recebendo a mensagem. Nada disso é necessário. A Bíblia se limita a dizer: “E falem dois ou três profetas, e os outros julguem”, 1Co 14.29.
Atitudes exibicionistas como cair ao chão, andar como quadrúpedes ou imitar sons de animais também excluem a razão e devem ser rejeitadas por aqueles que conhecem a genuína doutrina bíblica.
Finalmente, Paulo ensina, no versículo 40: “Mas, faça-se tudo decentemente e com ordem”.
Desta forma, devemos alertar: Salvação não é emoção!
“Cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para a edificação”
(ICo 14.26)
Gustavo Rodrigues